Técnico do Remo valoriza nível do Ypiranga

Azulinos faturaram os três pontos em cima de um Ypiranga bem treinado, afirma Rodrigo Santana. Foto: Irene Almeida

Tylon Maués

O técnico Rodrigo Santana avaliou a atuação de sua equipe como muito boa diante do Ypiranga, mas ainda fez algumas ressalvas nas necessidades de melhorias para conseguir placares mais folgados. Para ele, o Remo teve oportunidades em outras partidas para estar hoje em uma condição até melhor. Algo que precisa ser corrigido daqui para frente para poder brigar pelo G8.

“Eu acho que a gente teve um equilíbrio emocional muito bom para sair daqui com a vitória. Temos ainda algumas coisas por corrigir durante essa semana, terminar um pouquinho melhor as jogadas, porque mais uma vez a gente finalizou mais que o adversário, criou mais, tivemos mais volume. Então, na hora que a gente conseguir concluir melhor, podemos até conseguir um resultado um pouco mais alto”.

Santana lembrou que o Leão Azul encontrou pela frente um adversário que vinha de quatro vitórias em cinco jogos, que não ficou sem trabalhar durante as enchentes que afetaram muitas cidades do Sul. “Nesse período de chuva que teve no Rio Grande do Sul, a cidade de Erechim não foi atingida. Em todo esse período eles aproveitaram muito bem para treinar. Então, é uma equipe muito bem treinada, com só uma derrota. A gente sabia que ia ser um jogo perigoso. Procuramos estudar o adversário. Isso contribuiu para a gente fazer essas ações”.

O treinador remista deu como exemplo do bom desempenho do seu time o fato de que seu goleiro pouco apareceu em campo. “O Marcelo Rangel não fez nenhuma defesa perigosa. A equipe se comportou bem, num bom nível de concentração. Acho que os jogadores competiram muito bem dentro do jogo. Nossos jogadores estão sendo muito fortes porque eles estão confiantes. No jogo, a nossa ideia era sair na frente o mais cedo possível para trazer o torcedor conosco e ao mesmo tempo aproveitar o clima, uma vez que eles estão vindo do sul e a gente sabe que eles iam ter que sair de trás para se desgastar mais”.

A participação da torcida foi algo que também chamou atenção do técnico, assim como a concentração da equipe ao longo dos 90 minutos. “A bola rolando e a torcida nos apoiando. Então, a também foi fundamental nesse momento. Tivemos um equilíbrio emocional muito bom para sair daqui com a vitória. O nosso maior desafio aqui é manter essa pegada, manter os pés no chão, a humildade, manter eles acreditando e o torcedor do nosso lado”.

Fonte: Diário do Pará